O CFM compreende a representação dos médicos no país. Mas o CFM não compreende os médicos do país.

LÓGICA ARISTOTÉLICA

O CFM compreende a representação dos médicos no país. Mas o CFM não compreende os médicos do país.

Os Conselhos Regionais de Medicina do AM, PA, RO, AC, AP, TO, GO, MT, MS, BA, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, SP, MG, RJ, ES, PR, SC, RS e DF são contra a Resolução da Teleconsulta. Dizem que não foram consultados!
Os Sindicatos Médicos da BA, CE, PB e PB também são contra a Teleconsulta. Dizem que prejudicam a segurança e qualidade da assistência ao paciente!
As Sociedades de Especialidades não aceitam a Resolução. Dizem que isto é matéria muito séria que demanda ampla discussão!

No entanto:
-A Associação de Telemedicina e Telessaúde gostou da Resolução; politicamente, ela é positiva.
-O Hospital Albert Einstein, que promove seminários e já é um provedor com plataforma online pronta pra uso, não reclamou de não ter sido avisado.
-A Globo vibrou com a notícia, rendeu matéria sensacionalista e audiência no domingo.
-Os jornais e blogs ficaram efusivos com as manchetes e enquetes.
-Os planos de saúde e operadoras adoraram, estão prontos a oferecer seus produtos online.
-Empresas start ups de videochamadas já estão promovendo a nova interface.
-O Global Summit fará em breve o lançamento triunfal da era Digital Health em solo brasileiro.
-Os advogados do direito medico, claro, a postos: os clientes avolumarão.
Tudo muito claro e síncrono.

Considerando-se:
-Que se o CFM quer a Teleconsulta, e os médicos não;
-Que o CFM resolve impô-la monocraticamente à revelia dos pares, expondo-os e aos seus pacientes;
-Que os médicos apelaram, tão “mui respeitosamente”, e ainda assim o CFM só repudia veementemente e lamenta…

…Nos pomos a pensar, também mui respeitosamente, a quem ele representa.

Sendo assim, e vendo nos atos do CFM indícios de INFRAÇÃO GRAVE à boa prática, como divulgação sensacionalista e promocional de consulta, diagnóstico e tratamento por meio de comunicação de massa, associação com empresas comerciais e prática mercantil, ele deveria ser sentenciado (mediante fraude, se houver conflito de interesse) nos Art. 111, 112, 114, 116, e nos Art. 1°, 18, 19, 20, 32 e 37 por dano ao paciente, desrespeito às leis e ao razoável Ato Médico, pelo nosso mesmo Código de Ética profissional, para nos dar o exemplo e servir de reserva moral.

Como queríamos demonstrar.

Por Cy Kurati (Cyrus)
06.02.19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *