Cuidado com os MÉDICOS ALTERNATIVOS e a tal ressonância quântica

Infelizmente tudo que escrevo resulta em polêmica, mas não me conformo com coisas que eu acredito estarem erradas e sejam armadilhas para tomar o pobre dinheiro dos incautos.

Uma delas é  tal de ”medicina ortomolecular”. O erro já começa na nomenclatura, ortomolecular, e quem tiver paciência de buscar a etimologia vai ver a grande discrepância.

Vejam o que o CFM (cfm.org.br) Conselho Federal de Medicina do nosso país fala a respeito. http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20461:&catid=46

A chamada medicina ortomolecular vem sendo utilizada para tratamentos de desequilíbrios quaisquer, recomendando vitaminas e inúmeras substancias sem evidencias científicas que, em excesso, podem prejudicar o funcionamento do organismo humano. A vitamina A em excesso, por exemplo, altera as características normais da pele, deixando-a seca, além de provocar dores de cabeça, tonturas e náuseas. Já as vitaminas C e E em altas doses prejudicam a absorção de nutrientes e provocam depleção de outros já comprovado em centenas de trabalhos científicos. “Muitas pessoas não sabem exatamente o que estão ingerindo, e consomem vitaminas em quantidades impróprias. A resolução 1.500/98 não reconhece a medicina ortomolecular, portanto médicos que praticam esta atividade estão agindo contra as leis brasileiras e deveriam ser punidos”, ressalta Dr. Lara.”

Agora pior que tudo isso são os “quase médicos” (termo utilizado para enquadrar aqueles que queriam ser médicos mas por uma dificuldade ou outra fizeram um curso que não é medicina e se auto intitulam doutores e especialistas em diversos tratamentos.

Olhem este exemplo claro: http://www.vivaitapeva.com.br/noticia/saude/ressonancia-magnetica-quantica-e-opcao-para-prevencao-de-doencas/

Pelo que encontramos de referências a senhora que se intitula Médica Especialista na verdade é “especialista em medicina alternativa”.

Claro que é uma baita enganação e o termo especialista a nossa imprensa que não fica atraz em matéria de exercício despreparado, tanto que para ser “jornalista” não necessita de formação alguma. Espanados? Mas é assim mesmo.

Para não ser enfadonho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *