CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…

CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…
Por Francisco Cardoso

Autarquia federal sustentada com o tributo anual pago por 450.000 médicos, o CFM comemora em suas redes sociais a “vitória” na Justiça que negou pedido de liminar de um sindicato médico para suspender a fatídica Resolução 2227/18 – telemedicina.

Em que pese o pedido de liminar do sindicato ter sido, em minha opinião, precipitado, pois ainda está cedo para isso uma vez que a norma ainda não está em vigor, ou seja, encontra-se em vacatio legis e portanto não há perigo iminente de dano ou periculum in mora, a ação do sindicato representa indubitavelmente o anseio da vasta maioria da categoria médica que clama por alguma coisa que faça essa traição do CFM ser interrompida.

*Por isso é inusitado ver o CFM, isolado em seu palacete de marfim cercado de um córrego de insanidade, soltando fogos e comemorando o que na verdade representa uma derrota para os médicos. *

Do alto dos seus pedestais de madrepérola, a diretoria do CFM não enxerga ou não liga para a ofensa que vem causando à categoria a quem este Conselho nasceu para cuidar da boa prática, da ética e regular condutas.

Quando empresários da saúde aplaudem o CFM e este aplaude derrota dos médicos, é sinal de que o Castelo onde julgam os vivos e os mortos perdeu qualquer conexão com a realidade e com a categoria.

*É mais uma traição deste CFM contra a categoria, assim como em 2013 quando em um acordo espúrio com Alexandre Padilha, o então Presidente do CFM Roberto D’Avilla traiu a categoria e chancelou o acordo pela aprovação do Mais Médicos em Lei. *

Depois de passarem 5 anos enchendo o país de novos médicos, cubanos e outros formados sem revalidação , agora jogam todos na vala do desemprego com a telemedicina de araque para plano de saúde ver.

Esse ano as traições do CFM terão um basta. Os médicos não irão perdoar o que está feito a eles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *