Policlínica não é cooperativa!

COOPERATIVA, NÃO SE RESUME A UMA POLICLÍNICA, POIS É DE TODOS
(não sei o autor)

“O Cooperativismo, por justamente diminuir o desemprego, através de uma relação de trabalho mais justa e equilibrada, se torna um instrumento altamente eficaz e importante na abertura de frentes de trabalho, e com isso atua firmemente na eliminação da exclusão.”

Com isso, o sistema cooperativista, além de distribuir a riqueza que nas demais empresas é acumulado na mão do dono, faz por prevalecer a meritocracia, um dos conceitos mais modernos de gestão empresarial dos tempos atuais. Afinal, aqueles que são mais competentes ou mais trabalhadores fazem jus a uma melhor remuneração, situação ideal que privilegia a excelência a produção, dando mais aos que mais fazem.
Conforme já foi ventilado por diversas vezes, principalmente em momentos de rateio e aporte, deve haver um enfrentamento solidário de problemas que são comuns, o caminho mais eficiente para a criação da consciência grupal é a consequente forma de ação cooperativa, mas infelizmente o que tem transparecido é uma sociedade que privilegia a minoria em meio a tantos cooperados, fomentando a competição e disputa, consequentemente, exacerbando o individualismo. Contrariando ao extremo o Cooperativismo, pois deveria se democratizar oportunidades de sucesso profissional e distribuir, de acordo com a competência e o desempenho de cada um dos envolvidos, as riquezas. Diante disso, devemos nos questionar, o que a Unimed Belém almeja com a Policlínica? União? Solidariedade? Sucesso Coletivo? Redução de Sinistralidade? Condições de Trabalho Justo? NADA DISSO!!!!
Ademais, cooperados, os operários, deveriam exercitar ajuda mútua, pois sabem que a concorrência não está noutro da mesma empresa, mas na empresa concorrente. A compreensão da solidariedade é o princípio do exercício das atitudes solidárias e somente a educação cooperativa proporciona isso. Contudo, se enganam os que pensam em ser o Cooperativismo uma forma simplória e banal de ajudar os necessitados. Seria piegas demais, ou melhor, seria assistencialismo. Temos que desprezar isso. A solidariedade que devemos ver no sistema cooperativista é consciente e por principio uma forma diferente de ser, que busca na união de esforços a conquista de objetivos coletivos de sucesso.
A cooperação é indissociável do componente político, embora permita, jamais, que predomine ou se hipertrofie em detrimento da nobreza dos princípios, valores e fundamentos do ato de cooperar, sob pena de distorcê-la e, por vezes, inviabilizá-la, levando junto tudo que dela deriva.
A Unimed Belém é forte porque seus cooperados são bons, competentes e exercem seu profissionalismo com dignidade. Nossa maior riqueza é o estetoscópio que lá, na ponta do sistema, nos grandes centros ou nos rincões mais distantes do nosso Estado, atendem os doentes e ajudam a perpetuar a vida daqueles que necessitam de auxilio medico. Nossa riqueza não está nos prédios e muito menos na nossa marca representada a suntuosidade dos imobilizados e das máquinas nas diferentes Unidades. Nossa riqueza é o Cooperado, porque ele é quem faz o usuário existir, ele é quem faz o usuário continuar fiel e manter seu plano de saúde ativo, e isto ocorre porque o usuário acredita e respeita a capacidade do médico cooperado.
Ao mesmo tempo em que se torna uma via de sucesso e segurança para o desenvolvimento econômico, também se torna um caminho seguro para o aprimoramento pessoal. Valorizar a essência das iniciativas cooperativistas não é apenas uma forma de melhorar a economia, mas de melhorar a sociedade, o ser humano. É nisto que acreditamos, no fortalecimento econômico e politico da nossa Cooperativa neste ano de 2017.
Finalmente, dentro dos diversos objetivos que o Cooperativismo possui, com total desprendimento a qualquer minoria, acreditamos que nesse ano de 2017 a nossa Cooperativa de Trabalho Médico possa alcançar muitos de seus objetivos, com uma ação devidamente coordenada e com muito trabalho para todos os seus Cooperados, sendo o meio mais efetivo de todos, senão o único, para que os ideais, há tempo sonhados, sejam atendidos.

Estas sim, são as sinceras Saudações Cooperativistas.

Consultório Gratis

Caros amigos médicos,
Vocês que estudaram muito, lutaram 6 anos de faculdade, sacrificaram de 2 a 4 anos na residência médica, venderam bens da família para comprar equipamentos para seu consultório, em resumo, fizeram muito sacrifício para ser um profissional liberal vão entender o que eu escreverei a seguir.
Um consultório é o templo do exercício do profissionalismo liberal, não preciso definir, pois todos sabem o que significa. Lá você espera os seus pacientes ou clientes que vão a busca da sua capacidade, do seu conhecimento, do seu atendimento, e esta estrutura toda te um custo. Posso falar por mim, que pago aluguel, condomínio, segurança, secretária, atendente, internet, informática, insumos, instrumentos e um sem número de despesas que dividindo pelos dias trabalhados, ou sejam, 20 dias e atendendo 10 consultas a cada dia, o que totaliza 200 consultas, o custo de cada meia hora é R$ 26,47 isto no meu caso. E em uma consulta de R$60,00 sobram R$ 33,53 menos o 27,5% do IR sobram R$ 16,93 por cada consulta. Você vai dizer, mas só isso, bem, tem cirurgia que nem vale a pena sair de casa, pois receber menos de R$ 500,00 por uma cesariana ou um parto as 3 horas da madrugada é muito difícil.
Bem, mas nosso espírito de luta nos leva para frente, vamos atendendo um particular, um convênio que permita cobrarmos o valor e o paciente pedir ressarcimento e assim vamos nos defendendo neste mar de lutas.
Porém a UNIMED, que é nossa, que pertence a todos nós cooperados, com os mesmos deveres e obrigações teve a brilhante ideia de aumentar sua base aliada e criar a policlínica. Local onde você vai entrar com a caneta e a UNIMED vai proporcionar tudo, mas tudo mesmo, e vou repetir o que ela vai dar aos seletos colegas que foram premiados para atender. O cooperado vai receber o consultório, o condomínio, a segurança, a luz, a água, o computador, os impressos, a secretária, a atendente, a internet, a informática, os insumos, os instrumentos e até lanchinho.
Sabe quem vai pagar por tudo isso? Nós mesmos, em resumo, vamos pagar o consultórios dos colegas da base aliada.
Inconformado com esta forma de aliciamento de base alugada, entramos com ação para que os valores referentes as despesas da policlínica sejam cobrados diretamente dos cooperados beneficiados com a manobra.
O que falta é senso de respeito, igualdade e ninguém, mas ninguém mesmo pode se sentir ofendido quando for chamado de base alugada pois tal e qual as atitudes políticas que cooptam votos na vil política de ruas, nós estamos nos permitindo fazer igual.
Desculpem pelas palavras amargas e revoltadas, mas em quanto o Presidente ganha cerca de cinquenta mil reais, nós reles mortais recebemos esta miséria.
A saída é aplicar uma gestão honesta e eficiente, séria e salutar.
Comecem a pensar nas 10 medidas.
Um grande abraço a todos e fiquem com DEUS.