Isso o PRESIDENTE não pode deixar de confirmar.

A cerca de 4 anos sugeri que uma UNIDADE OBSTÉTRICA fosse criada para atender as GESTANTES da COOPERATIVA. Pois com a crescente demanda de reclamações por cobrança de DISPONIBILIDADE OSBTÉTRICA, POR FORA, DIFERENÇA DE ACOMODAÇÃO, as pacientes de enfermaria não conseguiam a segurança e o acolhimento esperado quando entravam em trabalho de parto.

Após contato na época com a LEILA, NIWA, MARSOLA, encontrei-os numa visita a MATERNIDADE DO POVO, que coincidentemente eu estava trabalhando a cerca de 6 meses, após ter sido expulso de uma clínica onde havia trabalhado 10 anos. Experimente ser autêntico e defender o correto, você acaba pagando um preço muito alto, pois nossa justiça é corrupta e venal. Mas deixa esta história para outra postagem.

Foi criado o serviço. Mandei  email, me cadastrei para ocupar uma vaga de plantonista. Afinal achei que antiguidade seria posto pois trabalhei no sobreaviso da DOCA e BR por longos 15 anos, onde éramos chamados uma vez  ou outra, isto quando o esquema dos protegidos não estava de cima. Ou seja, só a madrugada e  que o GUERRA não queria atender é que sobrava para os abnegados.

A Doutora encarregada da seleção, não devia gostar de mim, e colocou de fora, mas DEUS é tão grande que pouco depois seu marido foi às barras da justiça e perdeu a empáfia, mas não perdeu a pose. Coisa comum no meio político.

Depois quando falo em BASE ALUGADA, uma turma fica possessa, e eu acho sem razão.

O que eu gostaria era que a GESTÃO ATUAL que prega a TRANSPARÊNCIA, O COMPLIENCE  e outros valores, tornasse PÚBLICO os diversos e adversos VÍNCULOS DE CADA COOPERADO, SALÁRIOS e que houvesse uma redistribuição de EMPREGOS NOS RECURSOS PRÓPRIOS respeitando se não a antiguidade, pelo menos PER CAPTA a cada COOPERADO o direito de igualdade e caso o mesmo abra mão, aí sim, que as vagas sejam ocupadas por exclusão e não por inclusão.

Este é o meu pedido.

Crescer sem destruir os outros!

Falam muito em sustentabilidade, porém o que vemos é tudo da boca para fora. Em resumo, matam os gansos para fazer travesseiros de penas.

A COOPERATIVA teve uma brilhante ideia a cerca de 3 anos que foi a criação de uma UNIDADE DE REFERÊNCIA OBSTÉTRICA. Assim foi feito. Na Maternidade do Povo foi criado um PLANTÃO MÉDICO para os mais chegados, melhorias na UTI NEONATAL , SALAS DE PARTO, PRÉ PARTO e outras melhorias.

O SERVIÇO ia de vento em popa. Uma ideia muito boa, tanto que o PROJETO DO PARTO ADEQUADO referenciou o serviço e saiu no site do Ministério da Saúde como na época o único serviço que preenchia os requisitos do programa.

Outro dia, ia passando pela recepção, pois não faço parte da equipe de plantonistas, e enquanto fazia uma solicitação de guia de internação para uma longa madrugada acompanhando uma paciente em trabalho de parto escutei que alguns COOPERADOS tinham sido contatados por uma DIRETORA e que queriam levar o SERVIÇO para um outro hospital que em breve inauguraria sua nova maternidade. A DIRETORA que já havia trabalhado nesta maternidade fez o convite e a maioria parece que queria mudar de lar.

Não escutei mais a conversa da reunião pois acabei de preencher o documento e segui em frente.

Apenas faço a seguinte observação. A melhor maternidade do mundo tem que estar longe das mazelas infeciosas e contaminantes que encontramos nos hospitais gerais. Se você quer realmente oferecer segurança ao seu paciente, comece evitando os riscos biológicos, pois recursos, hoje as UTIs móveis te levam a qualquer lugar imediatamente.

O nome disso é respeito, pois todos nós ficaremos obsoletos e não tem como melhorar ou reformar. Upgrades somente da mente enquanto ela funcionar, pois no ser humano não existe esta facilidade.

A COOPERATIVA sempre pede para me sentir dono.

A sensação de ser dono, é muito própria e peculiar. Quando somos dono do nosso carro, cuidamos, lavamos, buscamos o melhor combustível, lavamos regularmente, e não dispensamos a cerimonia de limpa-os-pés antes da entrada de qualquer passageiro. Mas quando você aluga um carro, é assim, gasolina mais barata, qualidade nem pensar, estaciona em qualquer lugar, não limpa os pés antes de entrar e só entrega lavado pois é exigência da locadora.

Parece uma mentira, mas é realmente o que acontece com a relação do COOPERADO com a COOPERATIVA.

Não tem pena de pedir exames que não são necessários, passa a limpo pedidos de médicos que não são cooperados, e até de profissionais da área de saúde  (que não são médicos).

Sério. É verdade. Olhe o que aconteceu comigo. Só esta semana atendi uma paciente com uma rol de pedidos de exames (dosagem de todo o abecedário de vitaminas e hormônios) pois a paciente foi numa Nutricionista e ela solicitou para um programa de transformação de massa gorda em massa magra. Fui falar que eu não ia fazer os pedidos, e foi o suficiente para elevar a ira da paciente que saiu fumegante do consultório e depois me mandou uma mensagem dizendo “achei quem pedisse, perdeu, não volto mais aí com o senhor.”

Como posso me sentir DONO da empresa se me pagam por uma cesariana nas altas horas da madrugada menos de quinhentos Reais? Dono é a gestão que chega a ganhar 10 vezes este valor para gerir o que é meu. Isto é ser DONO.

Vou ter que comparar, me desculpem os mais apaixonados pela COOPERATIVA mas me ocorreu o seguinte: O BRADESCO, A SULAMÉRICA e outras Operadoras de Saúde tem prejuízo? Claro que não, basta entrar no site delas e acessar o demonstrativo de resultados. Lá os DONOS recebem os lucros, e por incrível que pareça ainda tem a coragem de pagar o dobro do que recebemos sendo DONOS da COOPERATIVA.

Por fim, eu pago meu PLANO de SAÚDE, eu sou DONO, mas pago, igual aos NÃO DONOS e qual o lucro que eu tenho com a COOPERATIVA?

Lucram os que têm seus INÚMEROS VÍNCULOS ( me disseram que não poderia haver duplo vínculo) e é de conhecimento público COOPERADOS que possuem 2, 3 e até 4 vínculos e estes sim são donos do pedaço. Os que pensam diferente têm apenas que trabalhar para poder receber no final do mês pois são DONOS de sua contas e despesas.

Policlínica não é cooperativa!

COOPERATIVA, NÃO SE RESUME A UMA POLICLÍNICA, POIS É DE TODOS
(não sei o autor)

“O Cooperativismo, por justamente diminuir o desemprego, através de uma relação de trabalho mais justa e equilibrada, se torna um instrumento altamente eficaz e importante na abertura de frentes de trabalho, e com isso atua firmemente na eliminação da exclusão.”

Com isso, o sistema cooperativista, além de distribuir a riqueza que nas demais empresas é acumulado na mão do dono, faz por prevalecer a meritocracia, um dos conceitos mais modernos de gestão empresarial dos tempos atuais. Afinal, aqueles que são mais competentes ou mais trabalhadores fazem jus a uma melhor remuneração, situação ideal que privilegia a excelência a produção, dando mais aos que mais fazem.
Conforme já foi ventilado por diversas vezes, principalmente em momentos de rateio e aporte, deve haver um enfrentamento solidário de problemas que são comuns, o caminho mais eficiente para a criação da consciência grupal é a consequente forma de ação cooperativa, mas infelizmente o que tem transparecido é uma sociedade que privilegia a minoria em meio a tantos cooperados, fomentando a competição e disputa, consequentemente, exacerbando o individualismo. Contrariando ao extremo o Cooperativismo, pois deveria se democratizar oportunidades de sucesso profissional e distribuir, de acordo com a competência e o desempenho de cada um dos envolvidos, as riquezas. Diante disso, devemos nos questionar, o que a Unimed Belém almeja com a Policlínica? União? Solidariedade? Sucesso Coletivo? Redução de Sinistralidade? Condições de Trabalho Justo? NADA DISSO!!!!
Ademais, cooperados, os operários, deveriam exercitar ajuda mútua, pois sabem que a concorrência não está noutro da mesma empresa, mas na empresa concorrente. A compreensão da solidariedade é o princípio do exercício das atitudes solidárias e somente a educação cooperativa proporciona isso. Contudo, se enganam os que pensam em ser o Cooperativismo uma forma simplória e banal de ajudar os necessitados. Seria piegas demais, ou melhor, seria assistencialismo. Temos que desprezar isso. A solidariedade que devemos ver no sistema cooperativista é consciente e por principio uma forma diferente de ser, que busca na união de esforços a conquista de objetivos coletivos de sucesso.
A cooperação é indissociável do componente político, embora permita, jamais, que predomine ou se hipertrofie em detrimento da nobreza dos princípios, valores e fundamentos do ato de cooperar, sob pena de distorcê-la e, por vezes, inviabilizá-la, levando junto tudo que dela deriva.
A Unimed Belém é forte porque seus cooperados são bons, competentes e exercem seu profissionalismo com dignidade. Nossa maior riqueza é o estetoscópio que lá, na ponta do sistema, nos grandes centros ou nos rincões mais distantes do nosso Estado, atendem os doentes e ajudam a perpetuar a vida daqueles que necessitam de auxilio medico. Nossa riqueza não está nos prédios e muito menos na nossa marca representada a suntuosidade dos imobilizados e das máquinas nas diferentes Unidades. Nossa riqueza é o Cooperado, porque ele é quem faz o usuário existir, ele é quem faz o usuário continuar fiel e manter seu plano de saúde ativo, e isto ocorre porque o usuário acredita e respeita a capacidade do médico cooperado.
Ao mesmo tempo em que se torna uma via de sucesso e segurança para o desenvolvimento econômico, também se torna um caminho seguro para o aprimoramento pessoal. Valorizar a essência das iniciativas cooperativistas não é apenas uma forma de melhorar a economia, mas de melhorar a sociedade, o ser humano. É nisto que acreditamos, no fortalecimento econômico e politico da nossa Cooperativa neste ano de 2017.
Finalmente, dentro dos diversos objetivos que o Cooperativismo possui, com total desprendimento a qualquer minoria, acreditamos que nesse ano de 2017 a nossa Cooperativa de Trabalho Médico possa alcançar muitos de seus objetivos, com uma ação devidamente coordenada e com muito trabalho para todos os seus Cooperados, sendo o meio mais efetivo de todos, senão o único, para que os ideais, há tempo sonhados, sejam atendidos.

Estas sim, são as sinceras Saudações Cooperativistas.

Consultório Gratis

Caros amigos médicos,
Vocês que estudaram muito, lutaram 6 anos de faculdade, sacrificaram de 2 a 4 anos na residência médica, venderam bens da família para comprar equipamentos para seu consultório, em resumo, fizeram muito sacrifício para ser um profissional liberal vão entender o que eu escreverei a seguir.
Um consultório é o templo do exercício do profissionalismo liberal, não preciso definir, pois todos sabem o que significa. Lá você espera os seus pacientes ou clientes que vão a busca da sua capacidade, do seu conhecimento, do seu atendimento, e esta estrutura toda te um custo. Posso falar por mim, que pago aluguel, condomínio, segurança, secretária, atendente, internet, informática, insumos, instrumentos e um sem número de despesas que dividindo pelos dias trabalhados, ou sejam, 20 dias e atendendo 10 consultas a cada dia, o que totaliza 200 consultas, o custo de cada meia hora é R$ 26,47 isto no meu caso. E em uma consulta de R$60,00 sobram R$ 33,53 menos o 27,5% do IR sobram R$ 16,93 por cada consulta. Você vai dizer, mas só isso, bem, tem cirurgia que nem vale a pena sair de casa, pois receber menos de R$ 500,00 por uma cesariana ou um parto as 3 horas da madrugada é muito difícil.
Bem, mas nosso espírito de luta nos leva para frente, vamos atendendo um particular, um convênio que permita cobrarmos o valor e o paciente pedir ressarcimento e assim vamos nos defendendo neste mar de lutas.
Porém a UNIMED, que é nossa, que pertence a todos nós cooperados, com os mesmos deveres e obrigações teve a brilhante ideia de aumentar sua base aliada e criar a policlínica. Local onde você vai entrar com a caneta e a UNIMED vai proporcionar tudo, mas tudo mesmo, e vou repetir o que ela vai dar aos seletos colegas que foram premiados para atender. O cooperado vai receber o consultório, o condomínio, a segurança, a luz, a água, o computador, os impressos, a secretária, a atendente, a internet, a informática, os insumos, os instrumentos e até lanchinho.
Sabe quem vai pagar por tudo isso? Nós mesmos, em resumo, vamos pagar o consultórios dos colegas da base aliada.
Inconformado com esta forma de aliciamento de base alugada, entramos com ação para que os valores referentes as despesas da policlínica sejam cobrados diretamente dos cooperados beneficiados com a manobra.
O que falta é senso de respeito, igualdade e ninguém, mas ninguém mesmo pode se sentir ofendido quando for chamado de base alugada pois tal e qual as atitudes políticas que cooptam votos na vil política de ruas, nós estamos nos permitindo fazer igual.
Desculpem pelas palavras amargas e revoltadas, mas em quanto o Presidente ganha cerca de cinquenta mil reais, nós reles mortais recebemos esta miséria.
A saída é aplicar uma gestão honesta e eficiente, séria e salutar.
Comecem a pensar nas 10 medidas.
Um grande abraço a todos e fiquem com DEUS.