CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…

CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…
Por Francisco Cardoso

Autarquia federal sustentada com o tributo anual pago por 450.000 médicos, o CFM comemora em suas redes sociais a “vitória” na Justiça que negou pedido de liminar de um sindicato médico para suspender a fatídica Resolução 2227/18 – telemedicina.

Em que pese o pedido de liminar do sindicato ter sido, em minha opinião, precipitado, pois ainda está cedo para isso uma vez que a norma ainda não está em vigor, ou seja, encontra-se em vacatio legis e portanto não há perigo iminente de dano ou periculum in mora, a ação do sindicato representa indubitavelmente o anseio da vasta maioria da categoria médica que clama por alguma coisa que faça essa traição do CFM ser interrompida.

*Por isso é inusitado ver o CFM, isolado em seu palacete de marfim cercado de um córrego de insanidade, soltando fogos e comemorando o que na verdade representa uma derrota para os médicos. *

Do alto dos seus pedestais de madrepérola, a diretoria do CFM não enxerga ou não liga para a ofensa que vem causando à categoria a quem este Conselho nasceu para cuidar da boa prática, da ética e regular condutas.

Quando empresários da saúde aplaudem o CFM e este aplaude derrota dos médicos, é sinal de que o Castelo onde julgam os vivos e os mortos perdeu qualquer conexão com a realidade e com a categoria.

*É mais uma traição deste CFM contra a categoria, assim como em 2013 quando em um acordo espúrio com Alexandre Padilha, o então Presidente do CFM Roberto D’Avilla traiu a categoria e chancelou o acordo pela aprovação do Mais Médicos em Lei. *

Depois de passarem 5 anos enchendo o país de novos médicos, cubanos e outros formados sem revalidação , agora jogam todos na vala do desemprego com a telemedicina de araque para plano de saúde ver.

Esse ano as traições do CFM terão um basta. Os médicos não irão perdoar o que está feito a eles

Cremesp notifica Ministério Público e Conselhos de Odontologia pela prática ilegal da Medicina por profissionais não médicos

http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=NoticiasC&id=5312

“(…) Frente a esses fatos gravíssimos, que podem se configurar em exercício ilegal da Medicina, e à possível infringência da Lei 5.081/1966, que regula o exercício da Odontologia, o Cremesp solicitou, nos ofícios enviados aos Conselhos e ao MP-SP, investigação urgente das condutas desses profissionais, que, se comprovadas, estarão colocando em risco a saúde da população.”

Estigma em Psiquiatria

Lamentamos a matéria irresponsável da jornalista Ligia Formenti no Estado de São Paulo. Ela só contribui para aumentar o estigma na psiquiatria, privar pacientes carentes de uma terapia eficaz (a ECT) e, pior, usa a psiquiatria para fazer política (algo típico dos regimes mais totalitários). Irresponsável e desonesta!

Nossa nota está no link abaixo.

http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=NoticiasC&id=5313

CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…

CFM comemora “vitória” contra os médicos. É o rabo abanando o cachorro…
Por Francisco Cardoso

Autarquia federal sustentada com o tributo anual pago por 450.000 médicos, o CFM comemora em suas redes sociais a “vitória” na Justiça que negou pedido de liminar de um sindicato médico para suspender a fatídica Resolução 2227/18 – telemedicina.

Em que pese o pedido de liminar do sindicato ter sido, em minha opinião, precipitado, pois ainda está cedo para isso uma vez que a norma ainda não está em vigor, ou seja, encontra-se em vacatio legis e portanto não há perigo iminente de dano ou periculum in mora, a ação do sindicato representa indubitavelmente o anseio da vasta maioria da categoria médica que clama por alguma coisa que faça essa traição do CFM ser interrompida.

*Por isso é inusitado ver o CFM, isolado em seu palacete de marfim cercado de um córrego de insanidade, soltando fogos e comemorando o que na verdade representa uma derrota para os médicos. *

Do alto dos seus pedestais de madrepérola, a diretoria do CFM não enxerga ou não liga para a ofensa que vem causando à categoria a quem este Conselho nasceu para cuidar da boa prática, da ética e regular condutas.

Quando empresários da saúde aplaudem o CFM e este aplaude derrota dos médicos, é sinal de que o Castelo onde julgam os vivos e os mortos perdeu qualquer conexão com a realidade e com a categoria.

*É mais uma traição deste CFM contra a categoria, assim como em 2013 quando em um acordo espúrio com Alexandre Padilha, o então Presidente do CFM Roberto D’Avilla traiu a categoria e chancelou o acordo pela aprovação do Mais Médicos em Lei. *

Depois de passarem 5 anos enchendo o país de novos médicos, cubanos e outros formados sem revalidação , agora jogam todos na vala do desemprego com a telemedicina de araque para plano de saúde ver.

Esse ano as traições do CFM terão um basta. Os médicos não irão perdoar o que está feito a eles

O CFM compreende a representação dos médicos no país. Mas o CFM não compreende os médicos do país.

LÓGICA ARISTOTÉLICA

O CFM compreende a representação dos médicos no país. Mas o CFM não compreende os médicos do país.

Os Conselhos Regionais de Medicina do AM, PA, RO, AC, AP, TO, GO, MT, MS, BA, SE, AL, PE, PB, RN, CE, PI, SP, MG, RJ, ES, PR, SC, RS e DF são contra a Resolução da Teleconsulta. Dizem que não foram consultados!
Os Sindicatos Médicos da BA, CE, PB e PB também são contra a Teleconsulta. Dizem que prejudicam a segurança e qualidade da assistência ao paciente!
As Sociedades de Especialidades não aceitam a Resolução. Dizem que isto é matéria muito séria que demanda ampla discussão!

No entanto:
-A Associação de Telemedicina e Telessaúde gostou da Resolução; politicamente, ela é positiva.
-O Hospital Albert Einstein, que promove seminários e já é um provedor com plataforma online pronta pra uso, não reclamou de não ter sido avisado.
-A Globo vibrou com a notícia, rendeu matéria sensacionalista e audiência no domingo.
-Os jornais e blogs ficaram efusivos com as manchetes e enquetes.
-Os planos de saúde e operadoras adoraram, estão prontos a oferecer seus produtos online.
-Empresas start ups de videochamadas já estão promovendo a nova interface.
-O Global Summit fará em breve o lançamento triunfal da era Digital Health em solo brasileiro.
-Os advogados do direito medico, claro, a postos: os clientes avolumarão.
Tudo muito claro e síncrono.

Considerando-se:
-Que se o CFM quer a Teleconsulta, e os médicos não;
-Que o CFM resolve impô-la monocraticamente à revelia dos pares, expondo-os e aos seus pacientes;
-Que os médicos apelaram, tão “mui respeitosamente”, e ainda assim o CFM só repudia veementemente e lamenta…

…Nos pomos a pensar, também mui respeitosamente, a quem ele representa.

Sendo assim, e vendo nos atos do CFM indícios de INFRAÇÃO GRAVE à boa prática, como divulgação sensacionalista e promocional de consulta, diagnóstico e tratamento por meio de comunicação de massa, associação com empresas comerciais e prática mercantil, ele deveria ser sentenciado (mediante fraude, se houver conflito de interesse) nos Art. 111, 112, 114, 116, e nos Art. 1°, 18, 19, 20, 32 e 37 por dano ao paciente, desrespeito às leis e ao razoável Ato Médico, pelo nosso mesmo Código de Ética profissional, para nos dar o exemplo e servir de reserva moral.

Como queríamos demonstrar.

Por Cy Kurati (Cyrus)
06.02.19

OAB – Nova trincheira comunista.

Caros amigos,
Nova trincheira comunista está sendo construída com o novo presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, eleito para o triênio 2019/2022.
Ele vai começar logo os ataques contra o governo, inicialmente partindo pra cima do ministro Sérgio Moro. Vamos acompanhar…
Seu pai foi guerrilheiro junto com a Anta… Ele odeia o Capitão, já tiveram vários embates.
A eleição dele foi arquitetada pelo Zé Dirceu, para atribuir um ar de “legalidade” na guerra contra o governo.
Precisamos repassar e ficar muito atentos!
Já começou a guerrilha contra o Brasil e a população de bem!
COMPARTILHE AO MÁXIMO!!!

Internações e novas cirurgias estão suspensos no Hospital Maternidade do Povo II

http://www.mppa.mp.br/noticias/internacoes-e-novas-cirurgias-estao-suspensos-no-hospital-maternidade-do-povo-ii.htm

A suspensão foi uma deliberação do MPPA em conjunto com os órgãos fiscalizatórios ante a constatação de que as condições físicas e sanitárias do hospital estão em desacordo com as normas de saúdeBELÉM 12/02/19 16:19 

Mediante orientação do Ministério Público do Estado, órgãos fiscalizatórios determinaram nesta terça-feira (12) à Direção do Hospital Maternidade do Povo II a suspensão de algumas atividades. A medida se deu após a constatação de que as condições físicas, hospitalares, sanitárias e operacionais da maternidade estão em desacordo com as normas de saúde.

O Hospital Maternidade do Povo II teve suspensos a internação de novas pacientes, o agendamento de novas cirurgias, do programa de vacinação, tendo em vista, o acondicionamento irregular das vacinas e a mudança da realização de exames de teste da orelhinha para a sede da Maternidade do Povo I, até que sejam sanadas todas as irregularidades.

 Na manhã desta terça-feira (12) o Ministério Público realizou fiscalização no hospital Maternidade do Povo II. A vistoria, que foi realizada pela 3ª Promotora de Justiça da Saúde, Fabia de Melo-Fournier, em conjunto com técnicos do Grupo de Apoio Técnico Interdisciplinar (GATI) do MPPA, equipes  do Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (DEVISA/SESMA) e do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde Pública do Pará (DVS/SESPA), teve por objetivo avaliar aspectos operacionais, sanitários e estruturais daquela unidade de saúde.
 

fabia founier.jpg

Ao longo da vistoria graves desconformidades foram constatadas, como ausência de farmacêutico e de enfermeiros no hospital, que funcionava no momento com apenas dois obstetras, para realizar as cesarianas, fazer admissão das gestantes e atendimentos de urgência e emergência, tudo isto, aparentemente, funcionando sem o devido registro.

Ao entrevistar as pacientes que ali se encontravam para atendimento, constatou-se que em sua maioria eram provenientes de outros municípios e ali se encontravam por indicação de terceiros ou encaminhadas por seus próprios municípios. O bloco cirúrgico não possui os equipamentos de praxe para garantir a intervenção emergencial, inclusive as pacientes eram submetidas a cirurgia sem monitoramento do hospital.
 
Os bebês de mães diferentes ocupavam o mesmo berço e a identificação era feita pela técnica de enfermagem grafando o nome da mãe em fita crepe, colada diretamente no pulso do nascituro. Não havia material para higienização química dos instrumentos utilizados no bloco cirúrgico e foi encontrado para uso na CME material com esterilização vencida, dentre outros. O hospital funcionava sem licenciamento.    

fabia fournier2.jpg

Na oportunidade, a Vigilância Sanitária do município, com o apoio do MPPA, procedeu à entrega de auto de infração à direção do Hospital, em virtude de inadequações verificadas em fiscalização ocorrida no mês de outubro de 2018 e que aquela administração vinha se recusando a receber. 

A iniciativa do MPPA ocorreu no âmbito do Inquérito Civil Nº 000050-125/2013 SIMP, instaurado para acompanhar as providências adotadas pelo hospital Maternidade do Povo Filial para garantir uma melhor prestação do serviço de saúde aos seus usuários.

Texto e fotos: 3ª Promotora de Justiça da Saúde