Perco demais com meu mal humor

Infelizmente eu sei que perco demais com meu mal humor. Mas depois do que eu escutei estas duas semanas eu sinceramente vou chutar o pau da barraca, ou melhor, vou quebrar o piquete do circo, para não falar que vou jogar no ventilador.

Trabalho em um órgão desde o ano de noventa e dois, e sempre vesti  a camisa, dei o melhor de mim e até pedi exoneração de um outro concurso federal que eu possuía no currículo. Pois gostava imensamente de fazer parte desta instituição.

Ocorre que algumas coisas tem me mostrado que quando gostamos muito de uma entidade acabamos não vendo os defeitos ou as falhas, assim digamos.

Tentei mudar meu horário de trabalho, pois como todo mundo sabe meus sessenta anos me cobraram uma ação em prol do povo desassistido e ignorante do meu Estado.  Digo desassistido por não terem os recursos destinados a saúde, educação e segurança destinados a esta população aplicados em prol dos mesmos e sim em desvios que enriquecem alguns políticos e toda sua cadeia familiar e proximal. Ignorante, pois ignoram seus direitos e acabam votando em bandidos que vão roubar seus recursos.

Como encontrei um prefeito bem intencionado que está fazendo pela saúde algo que nunca eu havia presenciado, resolvi pedir para aumentar a minha jornada de trabalho e mais uma hora e obter a liberação de um dia o qual poderia me dedicar a atender, assessorar e trazer novas práticas para a saúde do referido município.

Pensem numa dificuldade. E infelizmente desisti do meu intento apesar de que outros colegas terem um horário muito flexível e inclusive com portarias que os proporcionava o direito de ir e vir sobre pretextos nunca dantes imaginados.

Se está certo eu não sei, se está errado também não sei, porém o que eu pedia não traria prejuízo a carga de trabalho que o referido órgão é merecedor.

Foi tanto percalço, descontos, dificuldades que até pensei em pedir a uma instância superior porém fui achacado com a pecha de dedo duro pois estava prejudicando o esquema dos outros colegas.

Eu fiquei numa situação complexa e complicada. Porém decidi que faria como os outros colegas fazem. Faltam e solicitam uma justificativa e vão fazer o que pretendem ou tem interesse, e a vida vai sob a batuta do Zeca Pagodinho.

E ao questionar um determinado dia que por falta de luz havíamos sido dispensados, tive a surpresa, aliás, não tive surpresa nem uma, apenas constatei o óbvio, que existia um grupo de whatsapp com os colegas do Departamento onde trabalho onde são passados avisos e orientação que eu por ser persona non grata estava fora.

Pois bem, temos que ter mérito e por isso vou contar a resposta que eu dei a criadora do grupo e que com toda a certeza agora serei não só antipático como excomungado.

Falei assim: Soube hoje que tem um grupo de pessoas no whatsapp que fazem parte do Departamento, e fiquei pensando qual seria o critério para que estas pessoas estivessem no grupo. Aí antes que respondessem fui logo dizendo, eu descobri o por que?

Tem que ter um parente direto ligado a administração superior para que o indivíduo faça parte do grupo! Logo em seguida passei a movimentar minha língua amaldiçoada como dizem, e continuei dizendo, dos que estão no grupo, tirando os não concursados, acho que todos tem um parente competente.

O Pior que parece que sim, e aí agora com certeza não faço e nunca farei parte de nem um grupo, e como nunca liguei para estes conchavos ou negociatas, sigo em frente contando os anos que me restam para sair decepcionado com as pessoas, por que para onde se olha e observa temos uma ação desprezível e facilmente capitulada nas leis dos mais sérios.